Trabalhando para ser faixa preta de matemática pelo Kumon !

Olá pessoal ! Acredito que a grande maioria das crianças não gostam de estudar! Pois bem, comigo não foi diferente :-), matérias como português e matemática, não eram matérias com que eu me importava e portanto quando chegou a hora certa de realmente utiliza-las, bateu o pesamento: “Como eu deveria ter dado importância a estas matérias”. Venho estudando com o objetivo de melhor alguns conhecimentos pessoais, por eu ser graduado em Sistema de Informação e claro pra servir de exemplo pra minha filha Alice :), a matemática é uma ferramenta indispensável, portando resolvi revisa-la por completo. Já ouvia falar no método de ensino Kumon, sabia também que a sua origem é Japonesa, sabia também que muitas pessoas o indicavam mas não sabia como de fato era a sua metodologia. Fiz a prova de nivelamento e com muita humildade recebi o resultado. Pois é, o resultado né ? Então o resultado foi que todas as provas que eu realizei haviam um tempo limite e que apesar de eu ter respondido com a pontuação positiva, o tempo estava ruim. O que vou compartilhar agora não é desculpa em 😛 … como relatei acima, meu objetivo é revisar toda a matemática e então expliquei que eu havia brigado com tabuada de soma e de subtração. No ensino médio, o professor apenas “pegou no pé” na tabuada de multiplicação, ou seja, culpa do professor “Charlisson” >). Pessoal, eu iniciei o Kumon em Janeiro/2016, para ser mais exato, no dia 21/01 e hoje, dia em que estou postando mais este post no meu site, já estou no nível E. Acho que deu pra entender que eu inicie do marco zero, pra ficar melhor vamos a lista dos níveis iniciais;

  • Nivel-A – objetivo é a utilização da operação de soma.
  • Nivel-B – objetivo é a utilização da operação de subtração.
  • Nivel-C – objetivo é a utilização da operação de multiplicação(este eu já era fera em! rs rs).
  • Nivel-D – objetivo é a utilização da operação de multiplicação(este eu já era fera também em! rs rs).

E hoje(27/02/2016), após realizar mais uma prova de avaliação, entrei para o nível E. O objetivo deste nível é adicionar, subtrair, multiplicar e dividir frações; transformar frações em números decimais e vice-versa; adicionar, subtrair, multiplicar e dividir frações e números decimais. Agora é colocar a mão na massa, ou melhor, pegar os blocos de exercício e mandar brasa. Os resultados das avaliações dos níveis que já realizei estão referenciadas na lista acima, é só clickar no link para visualizar. Se você tiver alguma dúvida quanto ao Kumon só perguntar! Eu não trabalho no Kumon, sou apenas um admirador e aluno do método! Depois tenho até que ver a minha comissão pela propaganda, não acham ? 😀 Valeu, até a próxima!

PROFESSOR REPROVA A TURMA INTEIRA

Um professor de economia em uma universidade americana disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou uma classe inteira.

Essa classe em particular havia insistido que o socialismo realmente funcionava: com um governo assistencialista. Intermediando a riqueza
ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.

O professor então disse, “Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.”

Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe e portanto seriam ‘justas’. Todos receberão as mesmas notas, o que significa que em teoria, ninguém será reprovado, assim como também ninguém receberá um “A”.

Após calculada a média da primeira prova todos receberam “B”. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.

Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos, esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Já aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Como resultado, a segunda média das provas foi “D”. Ninguém gostou.

Depois da terceira prova, a média geral foi um “F”. As notas não voltaram a patamares mais altos mas, as desavenças entre os alunos, a busca por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe.

A busca por ‘justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram aquela disciplina.

O professor explicou: “O experimento socialista falhou porque quando a recompensa é grande o esforço pelo sucesso individual é grande”. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros para dar aos que não batalharam por elas, então ninguém mais vai tentar ou querer fazer seu melhor.

Tão simples quanto o exemplo de Cuba, Coréia do Norte, Venezuela. E o Brasil e a Argentina, que estão chegando lá…”

1. Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico;
2. Para cada um recebendo sem ter que trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber;
3. O governo não consegue dar nada a ninguém sem que tenha tomado de outra pessoa;
4. Ao contrário do conhecimento, é impossível multiplicar a riqueza tentando dividi-la;
5. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, chegamos ao começo do fim de uma nação.

É o mais puro retrato do Brasil que vivemos.

Minha página pessoal no ar… :-]

Iai pessoal tudo bem ?

Então, resolvi começar a publicar todas as coisas que ando estudando, pensando e desenvolvendo .. começar a compartilhar com vocês todas as coisas que tenho aprendido ao longo deste tempo, vai deste linux, C, C++, algoritmos, Qt, QML, matemática, análise assintótica, tributação do ICMS, PIS, COFINS, regimes tributários brasileiros(simples nacional, lucro presumido e lucro real), e inúmeras outras coisas que forem aparecendo, afinal acredito que todos os dias precisamos chegar ao fim dele com alguma coisa nova apreendida. O cérebro precisa sempre estar ocupado com alguma coisa e de preferência que seja uma coisa muito boa! 🙂