Optional Chaining in JavaScript

?.Optional Chaining operator

Image from twitter by Daniel Rosenwasser (@Daniel Rosenwasser).

Optional chaining will eliminate the need for manually checking if a property is available in an object. With option chaining the checking will be done internally.

Example without Optional chaining.

const planet1 =  {
    name: 'Earth',
    size: '6,371 km'
  }

const planet2 = {
    name: 'Mars',
    // size: '3,389.5 km'
  }

function printPlanetInfo(planet) {
  console.log(`Name: ${planet.name}`)
  console.log(`Size: ${planet.size.toUpperCase()}`)
}

printPlanetInfo(planet1)
printPlanetInfo(planet2)

When we pass an planet object which doesn’t have the size property:

To solve the above problem what we do is, we will add check if size property available in the planet object

const planet1 =  {
    name: 'Earth',
    size: '6,371 km'
  }

const planet2 = {
    name: 'Mars',
    // size: '3,389.5 km'
  }

function printPlanetInfo(planet) {
  console.log(`Name: ${planet.name}`)
  planet.size = ( planet && planet.size &&
                  planet.size.toUpperCase())
                || "undefined"
  console.log(`Size: ${planet.size}`)
}

printPlanetInfo(planet1)
printPlanetInfo(planet2)

Using Optional Chaining

The optional chaining will check if an object left to the operator is valid (not null and undefined). If the property is valid then it executes the right side part of the operator otherwise return undefined.

function printPlanetInfo(planet) {
  console.log(`Name: ${planet.name}`)
  planet.size = ( planet?.size?.toUpperCase() ) || "undefined"
  console.log(`Size: ${planet.size}`)
}

The native JavaScript equivalent code for above optional chaining operator is

(property == undefined || property == null) ? undefined : property

Using variables as property name

We can use variables as property name in optional chaining

const planet = {
  name: 'Earth',
  size: '6,371 km'
}

planet?.size

// We can also use with expressions

planet?.["s"+"ize"] 

Functional call with optional chaining

You can use optional chaining to call a method which may not exist.

const planet = {
  name: 'Earth',
  size: '6,371 km'
  getSize() {
    return this.size;
  }
}

planet?.getSize?.()

Reference: MDN.

Tree Data Structure

Usually when we start to study data structures, we study first trees and then graph. Can I give you two tips ? First read about graph theory. Try to answer for yourself the two following questions:

  • What are acyclic and cyclic graphs ?
  • What are directed, undirected and bidirectional graphs ?

Right. Are you a bit more confused now ? 🙂 Let’s blow the candles and see the knowledge emerging like magic. Let’s list some conditions to say: “Hey it is a tree !”

  • Just like in real life, there are many types of trees data structures that we can have.
  • In graph theory, a tree is a nonlinear data structure, compared to arrays, linked lists, stacks and queues which are linear data structures.
  • One of the disadvantages of using an array or linked list to store data is the time necessary to search for an item. Since both the arrays and Linked Lists are linear structures the time required to search a “linear” list is proportional to the size of the data set.
  • Every tree is a graph, but not every graph is a tree.
    • A is the root but it also a parent. In graph theory, a loop (also called a self-loop or a “bucle”) is an edge that connects a vertex to itself. A tree don’t have loop.
  • A child has just one parent.
  • A tree is acyclic(contains no cycles).

Meetup ! Awesome!

Meetup brings people together in thousands of cities to do more of what they want to do in life. It is organized around one simple idea: when we get together and do the things that matter to us, we’re at our best. And that’s what Meetup does. It brings people together to do, explore, teach and learn the things that help them come alive.

For example, people run marathons, thanks to running Meetups. They write, thanks to writing Meetups. They change their careers, thanks to career Meetups. Because at Meetups, people welcome each other. They talk, help, mentor, and support each other – all in pursuit of moving their lives forward.

My first meetup will be “Computer Science Noobs” on 27th April 2017. After, I will write my experience! Now I need to read the 5th chapter of ‘Imposter’s Handbook’ by Rob Conery, in order to make the most of the discussion.

See you later! Bye!

London ! UK ! My new home!

I arrived in London on 18th March 2017. Sorry if you have been found some errors in this text but my goal is to share some experiences and I am going to use the posts to practice my English 🙂

During the first month I have booked the appointment for national insurance number(NIN) from my wife and me. I have applied the learning drive license to my wife, we have done our National Health Service(NHS) and we have created our banks account. All tasks was sucesfully concluded! 😀

Surprise! My wife is already got a job!

I see you soon.. bye!

Como é fácil aprender a programar com SoloLearn.com

Encontrei uma plataforma gratuita para estudar novas linguagens de programação! Achei muito divertido! O site é http://www.sololearn.com ! Lá tem inúmeros cursos para diversas linguagens de programação, e você ainda pode instalar o aplicativo no seu celular e nas horas disponíveis realizar algumas lições 🙂 Boa programação!

sololearn

Desafio “Onde está o mármore ?” URI[1025]

Olá amigos! Na disciplina de PAA(Pesquisa e Análise de Algoritmos) do Mestrado,  a prof. dra. Roseane de Freitas nos passou alguns desafios do URI, e o primeiro deles que estou postando aqui é “Onde está o mármore”. O enunciado do desafio você pode estar conferindo clicando aqui.

Seguindo então o que nos é apresentado pelo desafio, precisamos receber N(número) e Q(Quantidade de Consultas) e após isso imprimir  algo como:

4 1
CASE# 1:
2
3
5
1
5
5 found at 4

Mas aí vem a dúvida, como que o resultado diz que o número 5 foi encontrado na posição 4 ? 🙂 E então ? Já sabe a charada ? Vamos reler o nome do desafio, “onde está o mármore ?”, a questão é que após os números serem inseridos para podemos trabalhar com eles, precisamos realizar a ordenação de modo que os números fiquem em ordem crescente, ou seja, a ordem no exemplo acima ficaria:

Números ordenados de forma crescente: 1 2 3 5, portando o 5 ele foi encontrado em nosso vetor ou conjunto e na posição 4. Então aqui foi a primeira dica. Para concluir, precisamos realizar uma busca pelo número informado e se tratando de busca iremos utilizar a “busca binária” pois conseguiremos uma melhor performance em relação a velocidade.

Marbles was hacked ! 🙂 O código fonte você pode conferir no meu github clinkando AQUI!

Até o próximo post!

Grafos

Pessoal este post será bem curto mas acredito que a informação é bem valiosa. Estou cursando a Disciplina de Inteligência Artificial e o trabalho que o nosso professor nós pediu é a implementação do algoritmo a*(a star). Primeiro que encontrei um livro excelente que se chama “Objetos, Abstração, Estruturas de Dados e Projetos Usando C++, Elliot B. Koffman e Paul A. T. Wolfgang”, e no capítulo 12 Grafos, “Uma das limitações das árvores é que elas não podem representar estruturas de informação em que um item de dados possui mais de um pai. Neste capítulo, apresentaremos uma estrutura de dados conhecida como um grafo, que nos permitirá superar essa limitação”.

Achei interessante em compartilhar esta interpretação.

Como aprimorar a inteligência emocional

Você tem ideia de como está sua maturidade emocional? Os parâmetros do mercado de trabalho estão mudando. Já não importa tanto o nível de inteligência, nem a formação ou grau de especialização, mas sim a maneira como uma pessoa lida consigo mesma e com os outros. Este é o novo critério de avaliação em boa parte das corporações.
Uma pesquisa feita por Travis Bradberry, com mais de 500 mil pessoas, concluiu, após 10 anos de estudo, que apenas 36% dessas pessoas conseguem identificar suas próprias emoções. A pesquisa demonstra que essa competência, além de rara, é muito valiosa. O chamado “QE”, ou quoeficiente emocional, está ligado a 58% do sucesso profissional em qualquer carreira.
A vantagem é que esta habilidade pode ser treinada, bem como as capacidades cognitivas, potencializadas com a ginástica cerebral. Para os especialistas da área, existem quatro eixos que podem ser aprimorados. São eles: autopercepção, percepção social, autogestão e gestão de relacionamentos.
Dessa forma, listamos algumas dicas para desenvolver tais competências:
Autopercepção: tenha uma percepção sincera dos pontos fortes e das limitações pessoais. Procure uma visão clara de aspectos em que precisa melhorar e a capacidade de aprender com a experiência, isso ajuda a conhecer melhor o próprio modo de ser.
Percepção pessoal: reconheça como as emoções afetam o desempenho e a capacidade de usar os próprios valores para guiar nas tomadas de decisão.
Autogestão: em alguns casos, “deixe para depois”. Adiar uma decisão para o dia seguinte, após uma noite de sono bem dormida, pode arejar as ideias e garantir um comportamento mais tranquilo. Respire e conte até dez. atrasar sua reação emocional pode evitar desgastes desnecessários causados por uma “explosão”.
Gestão de relacionamentos: seja curioso a respeito dos outros. Se você demonstra interesse em conhecer uma pessoa, cresce exponencialmente a sua capacidade de influenciá-la no ambiente de trabalho. Explique suas decisões, não apenas tome-as. Comunicar frequentemente os motivos das suas atitudes contribui para que os outros compreendam você e se tornem seus aliados.
Além de desenvolver sua inteligência emocional, estes “pequenos passos” podem transformar o convívio com os colegas de trabalho e melhorar o desempenho nas atividades.

Fonte: http://metodosupera.com.br/artigos-sobre-o-cerebro/como-aprimorar-a-inteligencia-emocional/?utm_campaign=supera_news_161_-_disparo&utm_medium=email&utm_source=RD+Station